Atualizando o MacBook Pro

Estive um mês de férias na Califórnia, com direito a visitas a Cupertino na Apple e a Stanford. Aproveitando minha vinda aos Estados Unidos, resolvi fazer um upgrade na minha máquina, trocando memória RAM, substituindo o HD original por um drive SSD e também trocando o SuperDrive pelo HD original. Esse não é um upgrade inédito, o Fábio Akita já fez e o Rafael Gimenez também.

Porque fazer

  • Porque não tinha grana para comprar um MacBook Air;
  • Porque ainda que tivesse grana para um MacBook Air, não poder fazer trocar memória era algo que me incomodava;
  • Porque abrir Macs é divertido.

Lista de compras

Optei por comprar tudo na Amazon, por ter preços mais baixos. A lista:

  1. 8 GB de RAM: teoricamente seria o máximo suportado pelo MacBook Pro, embora seja possível usar 16 GB
  2. Drive SSD: optei pelo OCZ Vertex 3 por ver muita gente usando em MacBooks semelhantes ao meu
  3. Case para Super Drive: esse case é parecido com o driver externo que a Apple vende para o MacBook Air
  4. Data Doubler: case para acomodar o HD no lugar do antigo drive de CD
  5. Jogo de ferramentas: comprei um kit bem bacana ‘especifico para Macs’
  6. CD ou imagem devidamente montada do instalador do Mac OS.

Como fazer

Antes de abrir a máquina, tenha certeza de que você tem um backup atualizado. O Time Machine é perfeito para isso, pois após instalar o Mac OS no novo disco você pode restaurar sua pasta de usuários e aplicativos instalados no HD antigo.

Para abrir o mac, você vai precisar de uma chave Phillips 00, uma chave T6, e um Spudger, que no meu caso estavam entre as ferramentas do kit. Ao abrir a máquina, a primeira coisa a ser feita é desligar o conector da bateria. Eu não vou entrar em detalhes sobre esse processo, uma vez que recorri ao iFixit. Ele explica didaticamente como trocar os pentes de memória RAM, como substituir o drive de cd por um segundo HD e como trocar o disco rígido.

Após fechar o Mac, é hora de instalar o sistema operacional, usando o cd original ou um pendrive / HD externo com o instalador montado. Para ver o gerenciador de inicialização, segure option imediatamente após ligar o computador. Deverão aparecer a partição que possui o instalador e o seu antigo Macintosh HD. Quando instalar o Mac OS, tenha certeza de que está instalando no disco certo.

A restauração do Time Machine é coisa linda de Deus. As únicas coisas que quebraram aqui foram alguns apps da Adobe e alguns arquivos da pasta /etc, que aparentemente não são restaurados.

eCPF no Mac

No meu trabalho preciso usar meu cartão eCPF para acessar um determinado sistema que estamos desenvolvendo. Tenho um cartão eCPF, emitido pelo Banco do Brasil e um leitor de cartões OmniKey 3021 e foi uma grande dor de cabeça configurá-lo no Mac. Não era para ser um problema, uma vez que você precisa apenas de um driver e um módulo para o Firefox.

Driver

O driver do leitor OmniKey pode ser obtido pelo site da Serasa Experian. Além do driver do meu dispositivo, essa página apresenta drivers de outros devices.

Nessa mesma página, copie o Software do Cartão – Safesign. Esse software reconhece o seu cartão e apresenta os dados do certificado, a partir do app tokenadmin.

Observação: tudo nesse site está bem documentado, por isso esse post está resumido :)

Firefox

Para que o Firefox leia seu certificado, será necessário a instalação da biblioteca libcmP11.dylib. Faça o download dessa biblioteca e copie-a para a pasta /Library/cssi. Em seguida abra as preferências do Firefox e escolha: Advanced > Encryption > Security Devices. Clique no botão Load e na tela que se abre informe o caminho do arquivo (/Library/cssi/libcmP11.dylib). Não tem erro, com o cartão plugado na porta USB do Mac, o Firefox conseguirá autenticar utilizando-se o certificado digital. Para testar, você pode usar o eCAC, da Receita Federal.

Nota: o ManéBlog escreveu um post sobre o assunto, que me ajudou no processo.

Extensões para o Safari 5

A guerra dos browsers continua: a versão 4 do Firefox já saiu em fase beta – com interface parecida com o Chrome, eu diria – mas o que me motivou escrever esse post foram as extensões do Safari 5. Sim, extensões como as dos outros browser e antes tarde do que nunca. Vamos as preferidas:

Rails e cia no Snow Leopard

Fiz uma instalação nova do Snow Leopard no meu MacBook e ao migrar os dados do Time Machine, do Leopard, algumas coisas pararam de funcionar. Resolvi então escrever para complementar meu post anterior sobre o assunto.

Xcode

ANTES DE MAIS NADA, instalei o Xcode. Ele está junto no DVD do Snow Leopard, na pasta de Instalações Opcionais.

Rails

O Snow Leopard já vem com duas versões do Rails já instaladas: 2.2.2 e 1.13.6. Caso queira atualizar seu ambiente:
Continue reading

MacBook e o caso do topcase rachado

Eu era dono de um CrackBook, digo, MacBook com o topcase trincado. Sim, a Apple é quase perfeita, erros de projeto acontecem e muita gente por aí também tinha Mac trincado. Não é falta de cuidado, carrego a máquina em uma luva da Case Logic de Neoprene e o que se percebe é que o problema está nas travas de fechar do display. Começou com um cantinho quebrado e até semana passada ele já estava trincado em quatro lugares. FAIL.

topcase

Pensei eu mesmo comprar um topcase no ebay e trocá-lo eu mesmo, mas deixei de lado a alternativa nerd e resolvi tentar resolver o problemas por vias normais. A 15 dias atrás procurei a Tecmania, autorizada da Apple de Belo Horizonte. Trocaram o topcase mesmo com o MacBook fora da garantia e com um atendimento bem bacana. Funciona assim: você leva a máquina, eles fazem o pedido em São Paulo e em mais ou menos uma semana o topcase chega. Tudo sem custo.